Tag Archives: independente

ByEneas Francisco

Você já publicou seu primeiro e-book?

Olá! Hoje estou aqui para falar sobre e-books.
Enquanto ainda tem muita gente falando “ah, eu amo o cheiro do livro em papel”, tem outro grupo que já não se importa tanto com o cheiro.
Estou falando de um grupo de pessoas que ainda é amante dos livros de papel mas já migrou para a realidade digital do negócio. Eles até compram o livro impresso, mas não se importam de ler o livro no celular enquanto estão a caminho do trabalho.
Falando de autores. Há quem não pôde investir um valor mais alto para fazer um projeto editorial vingar no papel, mas que percebeu que há um público lá fora disposto a abraçar o que é bom no formato digital. E outros que investiram no livro impresso, mas que não abriram mão da oportunidade do mercado de longo alcance, preço baixo e oportunidades do livro digital.
A lista é quase infinita de empresas que oferecem para o novo autor todo o apoio para que ele realize o sonho de publicar, mas vale lembrar que este sonho pode começar a ser realizado de forma ainda mais simples, usando um simples arquivo em pdf para ser baixado a partir do seu próprio website ou blog.
O que define um e-book? Um e-book é conteúdo de informação semelhante a um livro só que no formato digital, para ser lido em equipamento eletrônico; seja em celular, tablet, computadores, etc. Ele pode ser em formato html, PDF, epub (quando der dá uma olhada lá no wikipedia).
Ao mesmo tempo em que um e-book nos dá a impressão de “simples demais”, por não prover a mesma satisfação ou percepção do livro impresso, seu alcance é extremamente ilimitado. Ele pode estar sendo lido por qualquer pessoa, em qualquer lugar do mundo em questão de minutos após a publicação. Entenda-se por publicação a disponibilidade do mesmo em formato digital na internet, pelo autor.
De forma geral, a palavra publicar gera um certo compromisso com a oficialidade do projeto; o investimento envolvido; a editora que dá o suporte, etc. Na realidade, o conceito de publicação já não é esse.  Eu publico, você publica, nós publicamos. Hoje todo mundo publica. E você já faz isso há bastante tempo.
Quando você digita um texto no Facebook, por exemplo; quando você escreve um novo post no seu blog, você está publicando, gerando informação, gerando possibilidade de feedback e alimentando uma discussão.
É claro que podemos falar de “publicar” e publicar; todavia, não dá pra fugir da realidade. Todo mundo, literalmente, publica alguma coisa todo dia.
A grande diferença está no nível de seriedade e compromisso empregado por algumas pessoas que, movidas pelo senso de empreendedorismo, assumiram a identidade de autor ou blogueiro profissional e decidiu investir seu tempo nisso.
Vou te dar alguns exemplos:
Joanna Penn sempre sonhou em ser uma escritora. Todavia, sua carreira de 13 como consultora de TI não permitia que ela realizasse seu sonho. Até que em 2011 ela abandonou sua carreira para se jogar de cabeça na realização do seu sonho. Ela publicou seu primeiro livro de ficção em 2008 que não deu retorno algum pois ninguém a conhecia. Após muitos “erros e acertos digitais” e o devido esforço para conhecer melhor o mercado digital, Joanna tornou-se uma autora best-seller, com mais de 15 livros publicados, dentre os quais a maioria é de ficção. Além da realização do sonho, Joanna acumulou experiência suficiente para se tornar palestrante e blogueira sobre o assunto de publicação independente.
Você já ouviu falar de Jeff Walker? Provavelmente não. Todavia, Jeff Walker é o homem que em 1996 era um simples cara “do lar”. Sua esposa decidiu voltar para o mercado de trabalho e ele acabou assumindo o cuidado dos filhos em casa, até por que ficou desempregado. “Sem querer”, Jeff que sabia tudo de mercado financeiro, começou a desenvolver uns boletins que ele enviava via e-mail para as pessoas. O primeiro foi enviado para 19 pessoas. Sem perceber, ele estava criando um sistema chamado “Product Launch Formula”, representado no Brasil por Érico Rocha e conhecido por aqui como Fórmula de Lançamento. Jeff começou a oferecer sua expertise para clientes online e seu primeiro cliente foi um senhor que, da Europa, depois de receber os boletins gratuitos que Jeff enviava, decidiu adquirir o primeiro boletim cobrado por Jeff. Hoje, Jeff se tornou autor best-seller pelo New York Times com o livro “Launch: An Internet Millionaire’s Secret Formula To Sell almost anything online, build a business you love, and live the life of your dreams”; e seus clientes já alcançaram o montante de 500 milhões de dólares em vendas através de seu método. Jeff é um desses, que publicam independentemente desde 1996.
Lá fora, a Amazon de certa forma é só mais uma empresa que oferece uma plataforma simples para publicação de livros. Não digo “só mais uma” com desrespeito. Ela é gigante e tem transformado o mundo de publicação de livros. Mas como ela, existe a Kobo, BookBaby, SmashWords, e a lista continua. Aqui no Brasil, além de poder contar com a Amazon.com.br, você pode contar com a Editora Saraiva, o Clube de Autores, e mais um monte de empresas que facilitam a produção de livros digitais e encorajam o autor desconhecido a colocar o pé na estrada rumo à sua jornada de autor independente.
Como também sou autor, resolvi fazer um teste para provar para você que de fato é fácil mesmo.
Eu tenho alguns materiais escritos que eu queria publicar como meus primeiros livros da série Juventude que Prevalece; ou seja, no papel. Mas para escrever este blog, decidi fazer um teste para te explicar a facilidade do processo e há menos de 24 horas de ter este texto concluído, meu livro digital “Mordomos da graça: Volume I – O tempo” já está disponível na Amazon para ser adquirido pelo leitor em qualquer lugar do mundo.
Como fiz isso? Foi simples. Preparei o arquivo em Word, criei uma capa no Canva, entrei no meu cadastro na Amazon.com e criei um novo livro. Acredito que fiz isso por volta das duas horas da madrugada. Estou concluindo este post às 11.58 do mesmo dia e o livro já está lá, disponível para você ver. Clique aqui para confirmar se é verdade! rs
Como era teste, o livro não foi corrigido, e pode até haver algum erro na descrição, etc. Mas um dos benefícios deste mundo digital é que é muito simples corrigir um erro; ou mesmo vários. Basta entrar de novo com login e senha, clicar na obra que você queira e editar e substituir um arquivo. O que seria impossível, se eu imprimisse mil cópias e dias mais tarde, descobrisse que escrevi meu próprio nome errado em algum lugar do meu livro.
Continue de olho no blog da UPBOOKS. Estamos chegando de mansinho, mas tem muita informação nova a caminho para esclarecer todos esses aspectos considerados complicados da vida de um autor independente.